Equipe de Dayane repudia edição de "A Fazenda": "Colocaram a vítima como vilã"

·2 minuto de leitura
Dayane Mello, participante de
Dayane Mello, participante de "A Fazenda 13". Foto: reprodução/Instagram/dayanemelloreal

Resumo da notícia

  • Equipe de Dayane Mello se pronunciou sobre a edição de "A Fazenda" de sábado (25)

  • Representantes da modelo repudiaram omissão de cenas sobre expulsão de Nego do Borel

  • Programa não mostrou participante pedindo a funkeiro para parar

A equipe de Dayane Mello divulgou uma nota de repúdio sobre a edição de "A Fazenda 13" do último sábado (25), que comunicou oficialmente ao público sobre a expulsão de Nego do Borel. O funkeiro é investigado por suspeita de estupro de vulnerável contra a modelo. 

Os representantes da participante afirmaram que o programa a transformou em culpada pelo abuso e "colocar a vítima como vilã", já que cenas importantes da madrugada ficaram de fora da exibição, como os momentos em que ela pede ao cantor para parar.

Leia também:

"Na noite de ontem, assistimos a uma edição triste e absurda. Apesar da expulsão do participante que colocou em risco a integridade física de Dayane, a edição optou por colocá-la como culpada pelo abuso sofrido. Segundo o programa exibido, o resumo da noite da vítima foi correr atrás do homem que a violentou, dando indícios e sinais afirmativos para que o mesmo se sentisse livre para praticar o ato", diz o post compartilhado nas redes sociais da peoa.

O comunicado diz que a emissora apresentou "uma narrativa distorcida dos fatos" e "romantizaram" o ocorrido.

"Ocultaram partes importantíssimas, como o estado de embriaguez em que Dayane se encontrava, inclusive precisando da ajuda de quatro pessoas para vesti-la, não conseguindo sequer se segurar em pé. Esconderam dos olhos do público as diversas vezes que Dayane disse para parar, que não queria e não podia", afirma a equipe.

O texto também reclama da veiculação do depoimento da modelo sobre o episódio ("mais parecia um interrogatório") e da falta de acesso a Dayane. "Foi negado a ela o seu direito como vítima de falar com as autoridades e seus advogados sobre o ocorrido, sob ameaças da produção de expulsão", destaca a nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos