7 problemas bucais que podem ter relação com a saúde mental

·3 minuto de leitura
Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

O corpo humano é como uma máquina: se uma engrenagem está ruim, todo o resto será afetado. Quando o assunto é saúde mental, é mais comum notar mudanças no comportamento da pessoa, embora uma disfunção nessa área possa impactar também outras partes do organismo, como a boca. Conheça sete problemas bucais que podem estar relacionados a ansiedade, depressão e estresse.

Veja mais conteúdo de saúde bucal

1. Bruxismo

Bruxismo é o ato de ranger ou apertar os dentes, principalmente durante o sono. A força aplicada pode deixar dentes e mandíbula doloridos. Mas, em casos mais graves, o problema pode causar fraturas e perdas na arcada dentária. A doença está muito relacionada à ansiedade e ao estresse, uma vez que o paciente alivia a tensão do dia pressionando os dentes.

2. Disfunção da Articulação Temporomandibular (DTM)

Estalos ao abrir e fechar a boca, dores de cabeça frequentes e dificuldade para mastigar são alguns sintomas da Disfunção da Articulação Temporomandibular (DTM). A doença afeta a articulação responsável por ligar o maxilar ao crânio. É importante destacar que pessoas com quadros de estresse, ansiedade e depressão são as que mais apresentam problemas nesse sentido.

3. Herpes e aftas

A baixa imunidade pode resultar em feridas na boca. As aftas são mais corriqueiras e surgem como pequenas bolhas, geralmente, na parte interna dos lábios e das bochechas, bem como na língua. Elas costumam levar cerca de sete dias para desaparecer e não precisam de tratamento.

A herpes, por sua vez, é mais chatinha. Trata-se de uma doença transmissível, caracterizada por feridas ao redor da boca que coçam, ardem e até sangram. Para se livrar desse incômodo, é necessário usar pomadas indicadas por um médico. O tratamento pode durar cerca de 15 dias.

4. Boca seca

O nervosismo diminui a produção de saliva. A partir daí, o paciente pode apresentar uma condição chamada de xerostomia – popularizada como “boca seca”. O ressecamento da região tende a dificultar a mastigação e a fala, rachar os lábios e, ainda, contribuir para o desenvolvimento de cáries, mau hálito e inflamações na gengiva.

5. Cáries

Os hábitos de higiene de uma pessoa podem ser afetados pela ansiedade e pela depressão. Nesse último caso, inclusive, há quem sequer consiga sair da cama, o que acaba impactando na saúde bucal. Quando a limpeza não é feita diariamente, as bactérias podem se acumular, corroer o esmalte dentário e abrir espaço para a manifestação de cáries.

6. Problemas na gengiva

A baixa imunidade desencadeada por estresse, depressão e ansiedade, aliada à ausência de cuidados bucais, pode impactar a gengiva. Uma inflamação na região apresenta desde problemas mais leves, como sangramentos isolados, até quadros mais severos, a exemplo da queda de dentes.

7. Mau hálito

A halitose, popularmente chamada de mau hálito, é outra consequência de uma higienização negligente. O odor desagradável, normalmente, é provocado pelos restos de alimentos não eliminados entre os dentes e na língua. Aqui, vale destacar que a condição pode afetar ainda mais o bem-estar mental. Isso porque a pessoa pode sentir vergonha e acabar se isolando.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos