6 sinais de depressão que pais devem ficar de olho

Foto: Getty Images creatives

Os adolescentes vivem de mau humor, e ninguém se surpreende quando eles exageram nas emoções. Mas quando esse sentimento é quase que constante, é possível que seja depressão.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Nem todos os adolescentes passam por essas oscilações de humor, mas o sintoma é bastante comum e pode fazer muitos pais refletirem sobre o que é e o que não é normal.

Leia também

Veja tudo o que você precisa saber para entender a diferença entre comportamento “normal” e possíveis sinais de depressão na adolescência.

Que tipo de mudança de humor é normal nos adolescentes?

Anthony L. Rostain, médico e professor de psiquiatria da Perelman School of Medicine da Universidade da Pensilvânia, explica ao Yahoo Vida e Estilo que boa parte depende da personalidade do adolescente. “Algumas pessoas já são muito emotivas antes mesmo de entrar na adolescência e, quando chegam nessa fase, isso se acentua ainda mais e a paciência se vai com facilidade”, explica ele.

No geral, o mau humor nessa idade não dura muito tempo e costuma ser uma reação a situações desagradáveis, como uma rejeição ou uma discussão, conta Rostain. Jed Magen, osteopata e presidente do departamento de psiquiatria da Faculdade de Medicina Osteopática da Universidade Estadual de Michigan, concorda. “Se o adolescente tem bons amigos, vai bem na escola e não tem outros problemas preocupantes, o mau humor, até certo nível, é totalmente normal”, explica ele.

Os adolescentes também costumam passar por mudanças repentinas de humor, segundo o psicólogo John Mayer, PhD e autor do livro Family Fit: Find Your Balance in Life. “O adolescente pode se irritar muito fácil com você e, cinco minutos depois, agir todo carinhoso, como se nada tivesse acontecido. Provavelmente, é só uma mudança de humor comum da idade”, conta Mayer.

Ele também explica que os adolescentes podem exagerar no que dizem quando estão irritados, soltando frases como “Preferia não ter nascido!” ou “Eu me odeio!”, mas isso também é normal. Ainda assim, Magen acredita que é importante conversar com eles quando se acalmarem para ver se está tudo bem.

Mas, então, o que seria um comportamento anormal?

“Não é normal quando a tristeza, a irritabilidade e a ansiedade são as principais emoções vistas no adolescente por várias semanas seguidas e quando isso começa a interferir na escola, na família e na relação com os amigos”, explica Mary Fristad, PhD e professora de psiquiatria e psicologia do Wexner Medical Center, da Universidade Estadual de Ohio, ao Yahoo Vida e Estilo. “Ou seja, o problema é quando esse comportamento se torna realmente um problema”.

Segundo a explicação de Rostain, o adolescente pegar uma faca quando está irritado ou abrir a janela e ameaçar se jogar também é um sinal de alerta, explica Rostain. “Todo comportamento que ameace a integridade física do adolescente deve ser levado a sério”.

Quais são os sinais da depressão na adolescência?

Rostain explica que os sinais são muito similares aos da depressão em adultos, por exemplo:

  • Tristeza ou irritabilidade por várias semanas

  • Perda de interesse em coisas de que o adolescente costumava gostar

  • Mudanças no padrão de sono, energia e apetite

  • Falta de concentração (que pode se manifestar com notas baixas na escola)

  • Isolamento da família e dos amigos

  • Comportamento negligente 

O que fazer se você acha que seu filho adolescente está com depressão?

Segundo Rostain, o primeiro passo é conversar. Tente falar com cuidado: ‘Você está sempre triste ou irritado. Será que a gente pode conversar sobre isso?’”, explica. “Não critique, só escute e veja se o seu filho está disposto a contar o que sente”. Ao mesmo tempo, para Fristad, é importante deixar claro para o adolescente que você quer ajudar. 

Além disso, ela diz que conversar com o médico ou pediatra que cuida da criança e pedir uma recomendação de profissional de saúde mental é uma boa ideia. Mayer acrescenta que o pedagogo da escola também pode recomendar alguém. Caso o adolescente tenha pensamentos suicidas, Magen recomenda levá-lo à emergência do hospital. “Na maioria dos casos, o suicídio pode ser evitado com o atendimento de emergência adequado nos momentos mais críticos”.

De forma geral, Rostain acredita que o melhor é “ser o mais aberto possível” em relação ao tratamento daí em diante e dizer ao adolescente que vocês vão sair dessa juntos. “Você precisa deixar claro que a depressão é uma doença tratável”, explica ele. Você também pode pesquisar para entender melhor essa condição. E “participe do tratamento de todas as formas que puder”, conclui.