'50+': "Morro de medo de envelhecer sozinha", diz Zezé Motta

No terceiro episódio da websérie '50+' — serão cinco — do Yahoo Brasil, as atrizes Cristiana Oliveira e Zezé Motta contam como a menopausa mudou suas vidas e como é conviver com a nova fase. Elas ainda falam sobre solidão e como lidam com esse sentimento.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

“Convivi com isso [preconceito da menopausa], minha mãe dizia que não podíamos comentar. Tive excesso de calor, acordava pingando, dei uma engordada boa. Tive uma baixo de libido, mas não faço reposição hormonal, pelo menos por enquanto”, diz Cristiana.

Aos 75 anos e já tendo passado pela menopausa, Zezé tocou em um assunto delicado para si e muitos de nós: solidão. 

Leia também

“Morro de medo de envelhecer sozinha. Sempre fui muito namoradeira e com a idade o ficar sozinha virou um problema. Mas comecei a conversar com mulheres mais novas, que começaram a se questionar sobre estar só e parei para pensar que não tinha nada a ver com a idade ou os quilos a mais”, diz Zezé. 

Zezé Motta fala sobre envelhecer no '50+' (Foto: Iwi Onodera/Yahoo Brasil)

O principal foco da websérie ‘50+’ é longevidade - o assunto do momento. Estima-se que até 2050, a população acima de 65 anos na Europa passará dos 23% para 28%. Na América do Norte, esse percentual subirá de 18% para 23%. Na Ásia, América Latina, Caribe e Oceania pessoas com mais de 65 anos serão cerca de um quinto da população até a metade do século 21. 

Com a proposta de discutir o envelhecimento feminino sem estereótipos ou tabus, convidamos Luiza Brunet, Cristiana Oliveira, Paula Burlamaqui e Zezé Motta para debater temas como: menopausa, amor, sexo, carreira e morte em um bate-papo mediado pela diretora editorial do Yahoo Brasil, Alessandra Blanco que tem 47 anos. 

Zezé Motta nos bastidores do '50+' (Foto: Iwi Onodera/Yahoo Brasil)

Moldar positivamente nossa percepção de idade e incentivar um futuro em que todos possamos abraçar o envelhecimento sem achar que “está velho demais” é o mote das discussões futuras. Os cientistas já preveem que a Geração Z (1994 - 2010) pode chegar aos 130 anos. O cientista inglês Aubrey de Grey defende que o envelhecimento é algo possível de ser evitado por meio da ciência e terapias e que poderemos viver até os mil anos. E justamente pensando na possibilidade de vivermos mais, nos propomos a discutir longevidade com qualidade e sem os clichês que envolvem a idade.