5 sinais para reconhecer e sair de um relacionamento abusivo ainda na pandemia

·4 minuto de leitura
Couple conflict. Stressed crying female sitting on couch with abusive husband after quarrel, ready to divorce
É preciso estar atento para perceber um relacionamento abusivo (Foto: Getty Images)

A pandemia forçou a população a permanecer mais tempo em casa como forma de conter a disseminação do coronavírus. Contudo, para algumas pessoas, foi um ambiente de agressões e relações abusivas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Só as denúncias de violência contra a mulher recebidas no canal de atendimento 180 saltaram 40% em relação ao mesmo mês de 2019, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Leia também

E se antes já era difícil perceber que estava em um relacionamento abusivo, agora, convivendo diariamente com situações de violência psicológica e física, é ainda mais complicado reconhecer e sair desse contexto.

Por isso, com a ajuda das psicólogas Ana Suy Sesarino Kuss, professora do curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e Vanessa Karam, da BP A Beneficência Portuguesa de São Paulo, o Yahoo lista abaixo cinco passos para você identificar o problema.

  1. Ciúme exacerbado

A primeira coisa é não romantizar os ciúmes. Quando há sentimento excessivo de posse e a pessoa precisa monitorar o outro ao máximo, isso não configura amor. Se alguém que você convive muito quer controlar tudo que você faz na vida, alegando afeto e carinho, tente enxergar que isso não é saudável e nem natural. Uma relação tem que ser boa para ambos.

  1. Brigas constantes

É muito comum achar que as brigas são situações do dia a dia. Mas quando há desentendimentos constantes, com agressões verbais e até físicas, não é uma relação sadia. Não ache que isso vai passar ou é só uma fase. Todas essas atitudes são sinais de relacionamento tóxico e abusivo.

  1. Ironia nas conversas e troca de opiniões

Em qualquer relação é necessário ter diálogo e estar aberto para o debate. Quando a pessoa não consegue expor sua opinião de maneira clara e sempre recebe críticas, é um sinal de alerta. Além disso, quando há uma conversa com tom de brincadeira, no qual o agressor diz que era só uma piada e usa sempre como desculpa para menosprezar o que você pensa, é indicativo de uma relação abusiva.

  1. Violência física contra você e contra si

Se durante uma briga e momento de fúria, o agressor bate na parede, dá murros em objetos e joga coisas contra você e contra ele mesmo, isso é um relacionamento altamente abusivo. Não é normal a pessoa usar da força para intimidar o outro.

  1. Agressão psicológica frequente

É muito comum relacionar violência física com relacionamento abusivo. Mas não é necessário agredir o outro para agir de maneira violenta. Muito pelo contrário. Algumas pessoas podem ser muito calmas, justamente para manipular quem está sofrendo. No entanto, sempre há xingamentos, depreciações, gritos. Fique atento se isso ocorre com frequência.

Saiba identificar uma relação abusiva dentro do seu convívio

Os relacionamentos abusivos vão muito além do cônjuge e podem aparecer no dia a dia, inclusive no ambiente familiar. Saiba identificar.

Pais e filhos

Embora pareça complicado entender que seus pais podem ser abusivos com você, essas atitudes são bem frequentes e começam ainda na infância. Isso é bem comum diante de situações que têm um peso grande na sua trajetória como a escolha da profissão, uma vaga de emprego e outras mudanças. Geralmente, eles não deixam que os filhos tomem suas próprias decisões, agem de maneira intolerante e não validam nenhum sentimento do filho.

Casais e relacionamentos amorosos

O mais comum é ver o homem agir de forma abusiva em relação à esposa ou namorada. Mas atitudes abusivas podem ocorrer em diversos relacionamentos, seja ele hétero ou homossexual. Normalmente, ocorre muita violência física, psicológica e até financeira.

Há também sempre momentos conturbados, de brigas constantes, inversão de culpa e promessas de que realmente vai mudar em algum momento.

Amizades

Ocorre muita posse e sentimento de menosprezo em relação às conquistas do outro. O ciclo é sempre de inveja e não é permitido e nem aceitável ter amizade com outras pessoas.

Como sair disso?

O mais recomendado é procurar ajuda de quem realmente confia e acha que não vai julgar suas atitudes e pensamentos. No primeiro momento, fale com uma pessoa que permita que você se sinta acolhida.

Nesse processo, também é fundamental procurar ajuda de um especialista em saúde mental para fazer com que você se dê conta de que está em um relacionamento abusivo.

Se houver violência física, chame a polícia ou entre contato pelo serviço de atendimento 180 (Central de Atendimento à Mulher) para denunciar o agressor.

Caso não consiga sair da residência em que convive com a pessoa, tente procurar apoio de alguém que possa recebê-lo em algum local e que permita que você fique lá por algum tempo até estar fora de risco.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos