5 melhores filmes de 2022 até aqui

O Batman de Matt Reeves não fez a bilheteria que o herói merece, mas não deixa a desejar para nenhum dos grandes longas do gênero. (Foto: Getty Creative)
O Batman de Matt Reeves não fez a bilheteria que o herói merece, mas não deixa a desejar para nenhum dos grandes longas do gênero. (Foto: Getty Creative)

"X"

O terror de "Ti West" chega ao Brasil somente em agosto mas já merece um lugar de destaque entre os melhores de 2022. Uma clara homenagem aos trabalhos de Wes Craven e Tobe Hopper, X conta a história de uma equipe de filmes pornô que vai fazer uma produção em uma fazendo no interior dos EUA - e é claro que a residência é de um casal psicopata. Uma mescla de estilo próprio e homenagens, X é daqueles produtos que encantam pela simplicidade com que contam uma história tão divertida e cheia de camadas, assim como os clássicos nos quais se inspira.

"Watcher"

Não tem como dar muito valor a Watcher sem saber a qualidade da produção em si. É uma estreia da diretora e o roteiro fala sobre a batida história da dama que se muda por causa do marido para uma cidade estranha, e acaba sendo observada por algum misterioso cidadão na janela à frente. Maika Monroe, porém, pode soar como algo familiar, já que protagonizou o ótimo Corrente do Mal - e se você curtiu este, pode ir fundo em Watcher. O suspense no estilo Janela Indiscreta dialoga com abuso e repressão a partir da jornada tensa e agoniante da protagonista. Adicione aí uma direção sutil, que deixa a cidade estranha (Bucareste) falar por si e a protagonista brilhar sem precisar de traquejos de atuação, e você tem um dos thrillers mais interessantes do ano.

"Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo"

Difícil uma lista de 2022 não ter Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo pelo simples motivo de ser um ótimo filme. Mistura de scifi com romance, a aventura de uma família que descobre o Multiverso enquanto tem problemas com a receita federal, o filme chega num momento em que a cultura pop praticamente respira o gênero de super-heróis; e não à toa se destaca por usar todas as referências pop sem nunca parecer pasteurizado como os filmes da Marvel. A obra dos Daniels, porém, é como um hipotético exercício live-action da Pixar, tamanha é a liberdade criativa que eles usam para contar uma história de amor simples e familiar. E não entenda isso como demérito, pois me refiro a época boa, quase impecável, da Pixar.

"Crimes do Futuro"

Tenho pra mim que se Cronenberg lança algo, devemos listar nos melhores do ano. À parte este exagero, Crimes do Futuro é outra ficção-científica que merece destaque em 2022 pelo uso do body-horror para falar sobre capitalismo, controle e obsessão - sinônimos que convivem em praticamente todas as obras do diretor. Aqui, num futuro onde a cirurgia é o novo sexo, vemos uma trama com muitos pés e cabeças discursando sobre o valor da arte e do controle do governo sobre ela. Misturar temas e gêneros tão diferentes em uma história coesa e relevante não é pra muitos, e um deles certamente é David Cronenberg.

"Batman"

É o melhor filme de herói do ano e provavelmente o será até o fim. O Batman de Matt Reeves não fez a bilheteria que o herói merece, nem vai chegar perto dos blockbusters da Marvel, mas nao deixa a desejar para nenhum dos grandes longas do gênero. Leitura original e particular do herói e de Gotham, o filme é reflexo desta era mais livre e errática das adaptações de quadrinhos no cinema. Uma mescla de fantasia com realidade que encontra equilíbrio no otimismo sombrio de um herói que sabe que é o vilão da própria história, mas busca redenção na insistência de seus atos nas noites de uma Gotham dominada pelo crime.