'Agarre-as pela vagina': 5 vezes em que líderes mundiais fizeram declarações machistas

Tanto Bolsonaro quanto Trump já fizeram declarações ofensivas às mulheres (Foto: JIM WATSON/AFP via Getty Images)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • ‘Assédio é quando se trata de uma pessoa feia’, afirmou presidente do Equador

  • Outros líderes mundiais fizeram declarações ofensivas enquanto estavam no poder

Na última sexta-feira (31), o presidente do Equador, Lenín Moreno, acusou mulheres de só denunciarem assédio quando o agressor é feio. A declaração iniciou uma onda de críticas contra o político, que mais tarde recorreu às redes sociais para se desculpar. Moreno não é o primeiro político a fazer comentários machistas enquanto comanda um país – confira algumas outras declarações ofensivas às mulheres feitas por líderes mundiais.

Uma declaração feita por Donald Trump em 2005 foi divulgada em 2016, durante a corrida eleitoral (Foto: AP Photo/ Evan Vucci)

“Sabe, eu sou automaticamente atraído pela beleza – eu só começo a beijá-las. Parece um ímã. Eu só beijo. Eu nem espero. E quando você é famoso, elas te deixam fazê-lo. Você pode fazer qualquer coisa. Agarre-as pela vagina.” Donald Trump (EUA), 2005

A frase de Trump ficou famosa em 2016, durante a campanha eleitoral do atual presidente dos Estados Unidos, quando o jornal The Washington Post divulgou um vídeo da declaração feita onze anos antes. O magnata conversava com Billy Bush, apresentador do programa de televisão no qual ele estava prestes a aparecer.

LEIA TAMBÉM

Na televisão, Trump pediu desculpas pelo comentário, dizendo que “as palavras hoje divulgadas, que dizem respeito a um vídeo feito há mais de uma década, são algo de que me arrependo.” No entanto, logo em seguida ele relativiza a declaração, afirmando que Bill Clinton, marido de sua principal adversária, havia feito coisas muito piores enquanto estava na Casa Branca.

O presidente das Filipinas admitiu ter abusado sexualmente de uma funcionária quando era adolescente (Foto: AP Photo/Eugene Hoshiko)

“Eu levantei o cobertor... Tentei encostar no que estava dentro da calcinha. Fiquei encostando até ela acordar, aí eu saí do quarto.” Rodrigo Duterte (Filipinas), 2018

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, causou uma comoção em seu país ao admitir que, quando era adolescente, abusou sexualmente de uma mulher que trabalhava em sua casa. A declaração foi feita durante um discurso em que contou sobre uma confissão que havia feito a um padre.

Mais tarde, um porta-voz da presidência afirmou que a confissão era falsa, e que Duterte havia sido molestado pelo padre para quem fez a confissão.

A frase do presidente brasileiro foi vista como incentivo ao turismo sexual (Foto: Getty Images)

“Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade. Agora, não pode ficar conhecido como paraíso do mundo gay aqui dentro.” Jair Bolsonaro, 2019

O presidente Jair Bolsonaro foi acusado de incentivar o turismo sexual no Brasil após afirmar que o país “não pode ser um país do mundo gay”. A declaração foi feita durante um café da manhã com jornalistas que lhe perguntaram sobre a decisão do Museu Americano de História Natural de Nova York de se recusar a sediar um evento em sua homenagem por conta de suas declarações homofóbicas e racistas.

O Primeiro-ministro da Índia fez um comentário ofensivo enquanto elogiava a Primeira-ministra de Bangladesh (Foto: MONEY SHARMA/AFP via Getty Images)

“Fico feliz que a Primeira-ministra de Bangladesh, apesar de ser uma mulher, tenha declarado tolerância zero ao terrorismo.” Narendra Modi (Índia), 2015

Em uma visita ao país vizinho Bangladesh, o Primeiro-ministro da Índia tentou elogiar a governante local, mas acabou fazendo um comentário machista: disse que estava feliz por ela ter conseguido combater o terrorismo apesar de ser mulher.

Em resposta à declaração, a hashtag #DespiteBeingAWoman (“apesar de ser uma mulher”, em português) ficou entre os assuntos mais comentados do dia no Twitter, com relatos de mulheres bem-sucedidas em suas áreas de atuação.

O presidente da Turquia disse que mulheres que não são mães são apenas metade de uma pessoa (Foto: Presidential Press Service via AP, Pool)

“Uma mulher que nega a maternidade e se recusa a cuidar da casa corre o perigo de perder sua liberdade. Ela deixa a desejar e é apenas metade de uma pessoa, não importa o quão bem-sucedida ela seja no mundo empresarial.” Recep Tayyip Erdogan (Turquia), 2016

O presidente da Turquia fez essa declaração ao defender que as famílias turcas devem ter pelo menos três filhos. No entanto, seus argumentos para incentivar o crescimento populacional no país esbarraram diversas vezes no machismo e no fundamentalismo religioso, preocupando setores da sociedade turca.