40 anos dos Jornais de Bairro: Conheça profissionais que são leitores e também protagonistas do GLOBO-Barra

Uma das principais características dos Jornais de Bairro em 40 anos de existência é partir de pessoas — moradores, trabalhadores ou frequentadores da região — para falar de novidades, problemas, tendências ou opções de lazer e serviço na área coberta pelo caderno (São Conrado, Barra, Recreio, Jacarepaguá e Vargens). Alguns deles têm participação mais ativa, e acabam se tornando familiares para os leitores.

Todos querem conforto: Busca por mais qualidade de vida em casa faz venda de imóveis na Barra crescer 90% na pandemia

Violência doméstica: Shopping da Barra recebe ponto de atendimento gratuito a vítimas

O biólogo Mario Moscatelli, que se destaca pela defesa do meio ambiente da cidade, em especial o complexo lagunar da Barra da Tijuca, bairro onde mora, é um deles. Ele costuma sugerir reportagens para o GLOBO-Barra e é procurado pela equipe para participar de pautas. Contaminação de lagoas e praias, lançamento irregular de esgoto, proliferação de cianobactérias e gigogas e mortandade de peixes estão entre os temas já abordados por Moscatelli nas páginas do caderno.

— Sou de uma época em que a Barra da Tijuca era um areal. Vim para o bairro no início do século XXI, buscando qualidade de vida para a família, mas ciente do enorme passivo ambiental da região. É por isso também que estou aqui, morando onde estou recuperando o que foi degradado. Esse será meu legado. E O GLOBO-Barra serve de mecanismo de pressão sobre as autoridades e para que a sociedade tome conhecimento de problemas, causas, consequências e ações necessárias para revertê-los — diz Moscatelli.

Outro personagem já retratado no caderno foi o engenheiro mecatrônico Wanderley Abreu Jr., que, aos 19 anos, ficou conhecido por usar suas habilidades de hacker para invadir o sistema da Nasa. Hoje, aos 44, ele usa seus talentos para atividades como desenvolvimento de algoritmos e segurança on-line, trabalhando, inclusive, para a agência espacial americana. Uma biografia contando sua história, “Storm”, do jornalista Alessandro Greco, está sendo lançada este mês. Abreu Jr. considera fundamental um veículo de imprensa voltado para a região onde mora há 20 anos.

— O GLOBO-Barra aproxima os moradores da região do que de fato acontece no seu entorno, sendo seu principal agente de informação — afirma. — É uma honra estampar as páginas do caderno. Já estive na capa e também em outras matérias. Estar presente em um jornal de grande relevância é a certeza de estar no caminho certo.

Advogado do Grupo de Ação Ecológica, Rogério Zouein está sempre atento a possíveis agressões ao meio ambiente e ao patrimônio público da região. E costuma contar com a ajuda do caderno para chamar a atenção das autoridades.

— Muitos problemas dos moradores da região, nas áreas de saúde, meio ambiente e defesa do consumidor, entre várias outras questões, são sempre mais bem atendidas ou resolvidas quando veiculadas pelo GLOBO-Barra — destaca. — Muitos anos atrás, após uma matéria de capa mostrando que na Promotoria de Justiça de Meio Ambiente, do Ministério Público, que funcionava na Barra da Tijuca, a maioria das denúncias de associação de moradores, entidades ambientais e ações judiciais estavam tramitando muito devagar, a chefia da instituição promoveu mudanças substanciais nos processos.

Com metade do tamanho previsto: Segunda unidade de conservação das Vargens é criada

Ele dá uma sugestão para que essa parceria entre o jornal e a sociedade seja ainda mais efetiva:

— Muitas matérias veiculadas sobre problemas efetivos do bairro tiveram grande repercussão e, assim, ajudaram a sensibilizar os órgãos competentes para a solução da questão. Para ser ainda melhor, após noticiar uma denúncia que tenha uma grande repercussão na qualidade de vida do bairro, o caderno poderia acompanhar o assunto e cobrar mais de quem de direito, até ser dada uma solução efetiva ao problema pelo quase sempre omisso poder público.

Chef de três restaurantes, Heaven Delhaye se informa pelo suplemento

Personagem de matérias do GLOBO-Barra em várias oportunidades, uma delas quando inaugurou seu primeiro restaurante italiano na Barra, o Heaven Cucina, em 2019, a chef Heaven Delhaye se tornou conhecida do grande público após conquistar o terceiro lugar no “Masterchef Brasil 2018”. Apaixonada por culinária desde os 11 anos, atualmente ela é jurada do “Rolling Kitchen Brasil”, no GNT, investe em gastronomia italiana e mantém também os restaurantes Nonna per Heaven, no ParkJacarepaguá, e D’Heaven, no Village Mall.

A chef conta ser leitora de longa data do caderno:

— Faz muito tempo que sou fã do GLOBO-Barra. Como profissional, devo dizer que as matérias das quais participei foram super bem-feitas e tiveram sempre ótima repercussão. Já nos primeiros restaurantes que abri, no dia seguinte à publicação das entrevistas os clientes lotavam o espaço, alguns deles, com o jornal na mão. Como moradora da Barra, adoro ler o caderno para saber o que acontece na área cultural e ficar informada sobre as questões socioambientais.

Vigilância contra problemas ambientais e urbanísticos

De questões socioambientes, a vice-presidente da Associação de Moradores e Amigos de Vargem Grande, Sarah Rubia, entende. Ela tem sido porta-voz de denúncias relacionadas à falta d'água, transporte público precário e problemas na área da saúde pública ao longo das últimas décadas. Hoje, o que mais chama sua atenção na região é justamente o temor de que a especulação imobiliária leve ao desmatamento irregular e à desapropriação de comunidades tradicionais.

Ela foi uma das responsáveis por mobilizar os moradores das Vargens para cobrar da prefeitura a promessa de criar duas unidades de conservação ambiental, que acabaram constituídas em 2021 e 2022. E contou com a parceria do GLOBO-Barra nessa empreitada:

— Tenho 49 anos e sou leitora do GLOBO-Barra desde criança. Sempre foi uma forma de conhecer melhor a região. Ele possibilita que personalidades do bairro tenham destaque e tornem suas pautas mais conhecidas, fortalecendo o próprio bairro e ampliando a comunicação entre moradores — opina. — Uma matéria que me marcou saiu na capa e falava sobre ações de solidariedade durante a pandemia. Eu estava envolvida, doando alimentos, máscaras e álcool gel e recebemos muito apoio depois da reportagem.

Sarah ressalta que conta com o caderno para ajudar a enfrentar os desafios ainda existentes nas Vargens:

— Vargem Grande está no olho do furacão da especulação imobiliária e do crescimento desordenado. Há ainda muito descaso da prefeitura em relação à infraestrutura de forma geral. Um exemplo é a ausência de uma escola de ensino médio pública que atenda à demanda das Vargens. Também não temos uma unidade de emergência; os postos de saúde estão lidando com a situação sem a menor infraestrutura, havendo inclusive óbitos em locais que deveteriam atender apenas demanda ambulatorial.

Gestor por sete anos do Parque Natural Municipal da Prainha, até janeiro de 2021, e responsável pelo replantio de restinga nas praias da Barra, do Recreio, Pontal e da Macumba, o surfista Abílio Fernandes já fez diversas denúncias ao GLOBO-Barra, a maioria sobre degradação ambiental na vegetação nativa da orla.

— Sou morador do Recreio há 40 anos, tenho várias matérias guardadas em meu arquivo pessoal e sou testemunha de que as pautas publicadas ao longo destes anos foram fundamentais para alertar os moradores e para o poder público tomar as providências devidas para a resolver as demandas. Muitas vezes, as denúncias feitas aos órgãos pertinentes não são atendidas, mas, quando são divulgadas pela imprensa, ganham força, o que nos dá mais esperança de vê-las resolvidas — afirma ele, que se denomina um “surfista ambientalista”.

Há mais de 20 anos, o urbanista Canagé Vilhena, morador de Vargem Pequena, por sua vez, contribui como fonte para opinar sob o ponto de vista técnico em matérias relacionadas a políticas urbanas, além de apontar problemas referentes à desordem urbana, como ocupações irregulares, e ao meio ambiente, como a poluição das lagoas da Baixada de Jacarepaguá. Para ele, o GLOBO-Barra tem sido importante para que a população entenda essas questões, além de um parceiro dos moradores para a solução dos mazelas.

— Duas das matérias mais importantes que já saíram foi uma sobre a execução malfeita das obras de alargamento da Estrada dos Bandeirantes e outra a respeito da ineficiência do combate à ocupação irregular nas encostas do Parque Estadual da Pedra Branca, com riscos para a proteção do meio ambiente — pontua. — O GLOBO-Barra, com reportagens críticas sobre políticas urbanas e ambientais, tornou-se um importante instrumento para fundamentar as demandas dos movimentos populares que tratam do direito à cidade junto ao poder público, no sentido de melhorar a qualidade de vida na região.