10 músicas essenciais para conhecer a carreira de Erasmo Carlos

SÃO PAULO, SP, 21.05.2017 - Show do cantor Erasmo Carlos no palco do Centro Cultural da Penha, em São Paulo. (Foto: Keiny Andrade/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 21.05.2017 - Show do cantor Erasmo Carlos no palco do Centro Cultural da Penha, em São Paulo. (Foto: Keiny Andrade/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dos artistas mais marcantes da música brasileira e pioneiro no rock no país, Erasmo Carlos morreu nesta quarta-feira (22), aos 81 anos. Ele estava internado em um hospital no Rio de Janeiro.

Erasmo começou a carreira em 1957 na banda The Sputniks, ao lado de Roberto Carlos, Tim Maia e Arlênio Lívio.

Cantor e compositor, Erasmo foi um dos fundadores da Jovem Guarda, movimento musical e cultural da década de 1960, ao lado de Roberto Carlos, parceiro musical com quem compôs grandes sucessos. Ele também manteve uma fama de mau, como intitulou o nome de uma de suas canções, ao longo da carreira e ficou conhecido como O Tremendão.

Conheça dez músicas fundamentais de sua carreira.

É Preciso Dar um Jeito, Meu Amigo (1971)

Composta ao lado de seu maior parceiro musical, Roberto Carlos, a música fala da angústia causada pelo cenário político da época —"estou envergonhado com as coisas que vi / Mas não vou ficar calado no conforto acomodado como tantos por aí", canta Erasmo.

É Preciso Saber Viver (1996)

A música foi um dos grandes sucessos de Erasmo Carlos e Roberto Carlos, que a compuseram em 1968. Ela foi lançada por Roberto em 1974 e gravada por Erasmo em 1996, no álbum de mesmo nome. A canção também virou sucesso com a versão da banda Titãs.

Festa de Arromba (1965)

A música, que fala sobre uma festa que reunia todos os artistas jovens da época, é um retrato da Jovem Guarda. O rock brasileiro cantado por Erasmo Carlos foi sucesso nas paradas musicais.

Gatinha Manhosa (1966)

Outro sucesso da Jovem Guarda, a balada colocou todos para dançar agarradinho nos anos 1960. A canção foi gravada pela primeira vez pelo grupo Renato e Seus Blue Caps com a voz de Erasmo Carlos no LP "Viva a Juventude", em 1965.

Gente Aberta (1971)

É outra canção do importante "Carlos, Erasmo", disco de 1971 que traduz a mudança musical do Tremendão em relação à era da Jovem Guarda –aqui, ele privilegia a sonoridade soul e a letra que prega o amor ao próximo. Também composta em parceria com Roberto, a música mais tarde seria regravada por artistas como Maria Gadú.

Mesmo Que Seja Eu (1982)

A música, composta ao lado do parceiro Roberto Carlos, foi lançada em 1982, no álbum "Amar Pra Viver ou Morrer de Amor".

Minha Fama de Mau (1965)

Presente no álbum de estreia do cantor, "A Pescaria", de 1965, a canção –que mostra a energia do surf rock no qual ele se inspirava na época– se tornaria outra das mais famosas de sua carreira. Em 2009 uma autobiografia foi lançada com esse nome e, depois, em 2019, um filme homônimo de 2019 no qual ele é interpretado por Chay Suede.

Mulher (Sexo Frágil) (1981)

Erasmo compôs a canção junto com Narinha, sua esposa, que faleceu em 1995. A música parte do ponto de vista de um homem que repensa suas atitudes ao acompanhar a rotina exaustiva de uma mulher.

Sou Uma Criança, Não Entendo Nada (1974)

Um dos grandes sucessos de Erasmo, a música foi lançada no álbum "1990 - Projeto Salva Terra!", de 1974. A canção, que fala sobre a vontade da criança em se tornar adulto e depois a nostalgia dos tempos que passaram, foi regravada em parceria com Arnaldo Antunes e depois por Lulu Santos.

Vem Quente Que Eu Estou Fervendo (1967)

Um dos maiores sucessos do álbum "O Tremendão", de 1967, também se tornaria uma das músicas-referência da carreira de Erasmo. Na faixa, ele dá voz a um rock composto por Carlos Imperial e Eduardo Araújo --e que também fez sucesso nas vozes de Raul Seixas e Frejat, com o Barão Vermelho.