Óculos escuros que eram uma marca de Itamar Assumpção são roubados do CCSP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um par de óculos escuros do músico Itamar Assumpção, que estava exposto na mostra "Afro Brasileiro Puro" no Centro Cultural São Paulo (CCSP), foi roubado na madrugada de sexta-feira (26). O local não tem câmeras de segurança.

O acessório, que era uma marca do estilo de um dos maiores nomes da vanguarda paulista e precursor do afrofuturismo no Brasil, fazia parte do acervo do MU.ITA, museu dedicado à memória do artista. A exposição, que ficaria em cartaz até o dia 4 de setembro no CCSP, será recolhida.

Os óculos roubados estavam expostos em uma mesa e protegidos por um tampo de vidro. À coluna, o diretor do CCSP, Rodolfo Beltrão, diz que a instituição registrou Boletim de Ocorrência e abriu uma sindicância interna.

Segundo ele, o segurança do CCSP notificou a instituição por volta das 7h de sexta-feira (26) que o objeto havia sido roubado —o delito, portanto, teria ocorrido durante a madrugada, fora do horário de visitação do museu.

Beltrão afirma que não há câmeras de monitoramento no local, mas que a segurança do CCSP foi reforçada.

Segundo o MUI.TA, os óculos eram uma peça da década de 1980, "única, preservada e cuidada pela família [do músico] após seu falecimento e tem para o acervo do MU.ITA, e de toda a sociedade, um valor inestimável".

"Os óculos talvez sejam o maior símbolo de poder de Itamar que, ao longo de sua trajetória, usou o acessório —necessário para suporte de sua miopia— como um aliado de auto-afirmação estética e política, confrontando padrões de comportamento normativo", diz ainda a nota do MUI.TA.

A Secretaria Municipal de Cultura, afirma, em nota, que "lamenta o furto de uma obra tão importante e de valor inestimável".

Qualquer pessoa que tiver informações sobre a peça pode entrar em contato com a Central de Informações do Centro Cultural São Paulo, por meio do e-mail comunicacaoccsp@gmail.com ou telefone (11) 3397-4002.

Leia, a seguir, a íntegra da nota do MUI.TA:

"É com pesar que comunicamos que, no dia 26 de agosto de 2022, foram furtados os óculos escuros de Itamar Assumpção, que se encontrava na exposição Afro Brasileiro Puro, em cartaz no CCSP. A peça fazia parte do acervo do MU.ITA —museu dedicado à memória deste artista brasileiro.

Os óculos talvez sejam o maior símbolo de poder de Itamar que, ao longo de sua trajetória, usou o acessório - necessário para suporte de sua miopia - como um aliado de auto-afirmação estética e política, confrontando padrões de comportamento normativo. Os óculos roubados eram uma peça da década de oitenta, única, preservada e cuidada pela família após seu falecimento e tem para o acervo do MU.ITA, e de toda a sociedade, um valor inestimável.

Acervos são fundamentais e tem a missão de preservar a história, costurar as culturas através dos tempos, estimular o pensamento e o desenvolvimento social, pois a guarda do patrimônio histórico é capaz de conscientizar a população sobre sua identidade e contribuir para o não apagamento da memória de seus povos ancestrais.

O reconhecimento de que Itamar Assumpção é fundamento e patrimônio cultural brasileiro transmuta o caráter de homenagem, quando uma estátua em sua intenção é inaugurada na maior cidade do país.

Como parte da missão deste museu, foram fotografadas todas as peças originais, a fim de preserva-las também de forma digital. Todo esse agrupamento foi levantado para a inauguração do Museu Itamar Assumpção, em novembro de 2020 —o primeiro museu virtual de um artista negro brasileiro.

A exposição no CCSP, que ficaria em cartaz até dia 4 de setembro, será recolhida para que possamos começar um processo investigativo.

Aos fãs, amigos e parceiros deste museu, nosso agradecimento a todo apoio e suporte essencial para que sigamos."