"É vergonhoso": Protagonistas de filme clássico processam estúdio por exploração e abuso; filho de diretor se manifesta contra

Em 1968, Romeu e Julieta, adaptação do romance mais conhecido de William Shakespeare, chegou aos cinemas com direção do italiano Franco Zeffirelli e para dar vida ao casal principal, a Paramount Pictures contratou os atores Leonard Whiting e Olivia Hussey. Agora, mais de 50 anos depois, os artistas processaram o estúdio por exploração infantil e abuso sexual, entre outras acusações e o filho de Zeffirelli, que morreu em 2019, se pronunciou sobre o ocorrido.

Whiting e Hussey apresentaram a denúncia em dezembro de 2022, em Santa Monica, na Califórnia, EUA. Na denúncia, os atores, que eram menores de 16 e 15 anos quando fizeram o filme, acusam o estúdio de exploração, assédio, fraude, abuso sexual, negligência e distribuição de imagens de crianças nuas. A dupla de atores, hoje com mais de 70 anos, afirma ter sofrido angústia mental e emocional desde o lançamento do filme e dizem ter perdido empregos por conta disso.

De acordo com o processo, "a Paramount tinha o dever de proteger seus funcionários menores de idade contra exploração infantil e sexual " (via Sensacine). Os atores de Romeu e Julieta estão buscando uma indenização que deve superar a quantia de 500 milhões de dólares, aproximadamente R$ 2,5 bilhões.

Segundo Leonard Whiting e Olivia Hussey, Franco Zeffirelli garantiu que não haveria nudez no filme e que eles usariam roupas da cor de sua pele para filmar cenas íntimas. No entanto, nos últimos dias de produção, Zeffirelli teria encorajado os artistas a filmar a cena nus. A dupla também afirma que o diretor chegou a filmá-los nus sem que eles soubessem.

Filho de Franco Zeffirelli se pronuncia sobre processo

Após a divulgação da notícia do processo, Pippo Zeffirelli, filho do cineasta, se pronunciou sobre o assunto e, ao The Guardian, descreveu a denúncia como “vergonhosa”, afirmando que a cena em questão está "longe de ser pornográfica". “É vergonhoso saber que hoje, 55 anos depois das filmagens, dois atores idosos que devem sua notoriedade essencialmente a este filme declaram que sofreram abusos que lhes causaram anos de angústia e desconforto emocional”, disse.

Pippo afirmou ainda que Zeffirelli se manifestou diversas vezes contra a pornografia ao longo de sua vida. “As imagens de nudez do filme expressam a beleza, a franqueza da entrega mútua e não contém nenhum sentimento mórbido”, acrescenta.

Na época do lançamento, Romeu e Julieta fez um grande sucesso entre a crítica e o público e recebeu quatro indicações ao Oscar e venceu nas categorias de Melhor Fotografia e Melhor Figurino. O próprio Franco Zeffirelli também foi indicado ao troféu de Melhor Diretor em 1969.

Leia o artigo em AdoroCinema

Vaticano faz sessão privada de Spotlight - Segredos Revelados para debater abuso sexual na Igreja

Olhos Famintos 3: Abuso sexual cometido por diretor no passado impediu escolha de elenco no Canadá

Susan Sarandon critica Woody Allen: "Acredito que ele abusou sexualmente de uma criança"

Netflix e criador de House of Cards revelam perturbação com acusações de abuso sexual contra Kevin Spacey

BBC interrompe filmagens de série estrelada por Ed Westwick durante investigações de abuso sexual