É difícil determinar se Justin Bieber usou playback no Rock in Rio; entenda nova polêmica do show

*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 01-04-2017: Show do ídolo teen Justin Bieber no Allianz Parque, ele faz a Purpose World Tour. (Foto: Avener Prado/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 01-04-2017: Show do ídolo teen Justin Bieber no Allianz Parque, ele faz a Purpose World Tour. (Foto: Avener Prado/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Para alívio de incontáveis fãs, os rumores que Justin Bieber não viria ao Rock in Rio deste ano não passaram de rumores. O canadense fez um show por mais de uma hora e meia e emocionou o público que tanto o aguardava. Mas desde o momento que o cantor subiu ao palco, uma nova questão tomou as redes sociais: Bieber cantou só no gogó ou usou playback?

De um lado, há quem fale que o canadense usou playback --técnica de som de gravação vocal que se sobrepõe à voz de alguém-- do começo ao fim. Do outro há quem diga que Bieber cantou tudo sozinho --e ao vivo--, sem auxílio externo.

O fato é que, independente de qual seja o caso, não é tão simples identificar o uso do playback e, por isso, se torna difícil afirmar se o cantor fez uso da técnica.

Sempre polêmico, o recurso do playback pode ser aplicado de várias formas e com diferentes objetivos. Um artista pode, por exemplo, aplicar gravação vocal somente em determinados trechos da música, ou então, usá-la somente como apoio de canto. Não, necessariamente, faz uso de playback para seu manter o microfone desligado --e assim, engatar numa completa sincronia labial, chamada de lip synch.

Mesmo com vídeos que supostamente mostram uma voz de Bieber gravada, não dá para dizer qual teria sido a real finalidade dela no show, muito menos seu grau de uso.