• Após fim de 'A Fazenda', Hariany evita Lucas, que se diz surpreso com a reação dela
    Vida e Estilo
    Folhapress

    Após fim de 'A Fazenda', Hariany evita Lucas, que se diz surpreso com a reação dela

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Lucas Viana e Hariany Almeida, um dos casais queridinhos da décima primeira edição de A Fazenda (RecordTV), parece não estar se entendendo bem fora do confinamento. A influenciadora digital evitou falar sobre o futuro da relação durante participação no programa Hoje em Dia (RecordTV). "Não estou bem. Gosto muito dele, mas a gente tem que conversar".  Já o vencedor desta edição do reality -que levou R$ 1,5 milhão- também esteve na atração e deixou claro estar interessado na ex-BBB.  "Gosto muito dela. O sentimento que tive foi verdadeiro. Não depende só de mim... Eu ficava num dilema: 'Por que gosto tanto dela? É falta de opção ou Deus a colocou no meu caminho?'. Fui percebendo que ela tem uma aura linda e pura. E acho que foi Deus", declarou Viana.  Hariany, no entanto, foi categórica ao afirmar que não tomaria decisão alguma antes de se cercar de pessoas que ama e confia. Ela disse querer encontrar e ouvir a opinião de sua família, em especial da própria mãe, principalmente, em relação às acusações de assédio que Lucas teria cometido contra ela durante o confinamento. Assim que se consagrou campeão do reality, Lucas se mostrou surpreso com a reação de Hariany que, nas palavras dele, o estava maltratando novamente. Ao ser questionado pelos apresentadores da live de A Fazenda, Lucas Salles, 26, e Nadja Pessoa, 30, sobre um momento em que encurralou Hariany enquanto discutiam a relação no reality, o modelo se mostrou surpreso e contrariado.  "Por eu ser grande, a galera assusta. Por eu ser intenso a galera assusta. Mas ali eu sabia o que a Hari estava sentindo. Por que não continuou o vídeo?", disse Lucas buscando se defender.  "Vocês estão olhando aqui e está parecendo que eu a estou deixando encurralada, mas eu sentia que ela queria continuar e me pedir perdão", ponderou o modelo.

  • Vida e Estilo
    Folhapress

    Colin Firth se separa de Livia Giuggioli três anos após crise no casamento

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Colin Firth, 59, anunciou estar se separando de Livia Giuggioli, 50, após 22 anos de união. Segundo comunicado dos representantes do artista, "eles mantêm uma amizade íntima e permanecem unidos no amor pelos filhos". Foi informado também que o casal pede privacidade e não vai mais comentar o assunto.  De acordo com o Daily Mail, o divórcio acontece cerca de três anos após Giuggioli ter se relacionado amorosamente com um amigo de infância, o jornalista Marco Brancaccia. O affair aconteceu enquanto ela esteve separada de Firth, entre 2015 e 2016. Ao romper a relação e voltar com o ator britânico, a produtora de cinema teria sido perseguida pelo ex-namorado com mensagens ameaçadoras. Ao procurar a polícia, o envolvimento, até então sigiloso, tornou-se púbico.  Alguns anos atrás, Colin e Livia tomaram a decisão de separar-se em particular. Durante esse período, Livia se envolveu brevemente com o ex-amigo Sr. Brancaccia. Os Firths se reuniram desde então. Posteriormente, o Sr. Brancaccia realizou uma campanha assustadora de assédio durante vários meses, muitos dos quais estão documentados. Por razões óbvias, os Firth nunca tiveram nenhum desejo de tornar público esse assunto", informou um porta-voz do casal à época dos acontecimentos. Firth conheceu Giuggioli em um set de filmagem após se separar da atriz  Meg Tilly, 59, com quem teve um filho, Will, 29. Após cerca de um ano de relacionamento o ator e a produtora se casaram na região italiana da Toscasa . Os dois são pais de Matteo, 16, e Luca, 18.

  • Ludmilla diz que acordar cedo é o seu maior desafio na apresentação do Só Toca Top Verão
    Vida e Estilo
    Folhapress

    Ludmilla diz que acordar cedo é o seu maior desafio na apresentação do Só Toca Top Verão

    RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Nada de parede ou ar-condicionado, o Só Toca Top ganhou uma versão verão com 13 episódios gravados na Marina da Glória, no rio de Janeiro, com Pão de Açúcar e Cristo Redentor como cenário de fundo. Em um ambiente descontraído e multicolorido, a Globo convidou Ludmilla e Mumuzinho para serem os novos apresentadores do Só Toca Top Verão, que estreia em 4 de janeiro e ocupará as tardes de sábado da emissora. Diretor do programa, Raoni Carneiro afirma que a atração é como se fosse um irmão gêmeo do Só Toca Top, mas com outras características. Uma delas é ausência dos tradicionais rankings de músicas do programa e a inclusão de um bate papo descontraído com um grupo de artistas. Serão sempre quatro artistas a participar de cada programa em um clima mais descontraído e combinando experiência e juventude. A reportagem acompanhou na tarde desta sexta-feira (13) a gravação de um dos programas, que ainda não tem data de exibição, com Péricles, Chitãozinho e Xororó, Marcia Fellipe e Buchecha.  "O programa preza muito pela multiplicidade de gêneros musicais do Brasil. A gente sempre quer ter um pouquinho de cada para que eles [os apresentadores] possam transitar o diálogo deles", diz Carneiro. Entre os convidados que devem passar pela atração estão Zeca Pagodinho, Thiaguinho, Iza, Marcelo Falcão, Lexa, Nego do Borel, Turma do Pagode, Kevinho, entre outros.  Pela primeira vez, Ludmilla comanda um programa na Globo e diz que gostou muito de ser lembrada para participar do Só Toca Top. Ela afirma que a falta de experiência na apresentação não é um problema, mas, sim, acordar cedo para as gravações da atração e, depois, se manter acordada entre os intervalos das gravações. "O problema só está sendo acordar muito cedo, porque eu durmo tarde. E na hora em que eu vou dormir já é hora de acordar para me maquiar. É preciso prestar muita atenção porque quando acaba o musical você já tem que saber o que vem depois. O desafio para mim é ficar acordada mesmo entre um programa e outro." Apesar disso, a cantora afirma que está curtindo cada momento e que apresentar o programa é uma "experiência muito maneira". "E eu nunca pensei que pudesse ser apresentadora na vida porque achava que não sabia falar com as pessoas. Fiquei muito feliz com o convite. E me coloca com a melhor dupla possível." Já para Mumuzinho, o maior desafio é "quando a gente que não consegue fazer aquilo, porque fica no pensamento da pessoa".  Ele afirma que Raoni Carneiro é um cara muito generoso e presente e se recorda de um conselho dele. "Ele me falou: 'Tira essa coisa de O Apresentador, você é o comunicador'. Então, a gente está aqui para se comunicar com o público de casa do nosso jeito."

  • Vida e Estilo
    Folhapress

    Microsoft anuncia que Xbox Series X será lançado em dezembro de 2020

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Microsoft anunciou o nome e o design de seu novo console, que será lançado no fim de 2020: Xbox Series X. O comunicado foi feito durante a sexta edição do The Game Awards 2019, que aconteceu na noite desta quinta-feira (12), em Los Angeles, nos Estados Unidos.  Chamado de "Projeto Scarlett" antes do evento que é considerado por muitos o Oscar dos games, uma das grandes vantagens do novo console é ser compatível com jogos das versões anteriores. Após o anúncio surpresa Phil Spencer, 51, chefe da divisão XBox da Microsoft revelou que o vídeo game terá desempenho duas vezes superior ao Xbox One X, o mais moderno da marca atualmente. Além de contar com uma GPU potente, o Xbox Series X terá SSDs que vão abolir o tempo de carregamento dos jogos e trarão ainda mudanças tecnológicas, tais como imagem em tecnologia 4K com 60 frames por segundo.  Para quem curte os games, ainda há mais para comemorar, já que em na mesma época, o Natal de 2020, a será lançado o Playstation 5. Segundo Jim Ryan, CEO da Sony, o objetivo deste novo console é trazer maior sensação de realidade ao jogador e as inovações no controle serão responsáveis por buscar essa imersão.

  • Vida e Estilo
    Folhapress

    Livro de indicado ao Jabuti fala de minorias em história bem brasileira

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "História de Joia", de Guilherme Gontijo Flores, é feita de um emaranhado de ruídos, cores e cheiros que pode atordoar o leitor, deixando-o mareado. Uma frase do livro resumiria essa narrativa que vem como um fluxo de pensamento: "Adentrando a muvuca tudo é muito embaraços de vozes cheiros em flor do cansaço do dia caixas de som assaltam orelhas competem no espaço". O fato é que depois de o leitor entrar nessa "muvuca", não tem mais como sair, pois já foi capturado pelo ritmo acelerado de uma prosa ora narrada por homem, ora por mulher, ora por criança. E sabe-se tão pouco das personagens e, ao mesmo tempo, por meio de detalhes quase insignificantes, sabe-se muito --por exemplo, que Joia, que dá nome ao livro, é uma transexual que ganha a vida trabalhando num boteco de quinta categoria e vive no morro. Ela é testemunha dos mais variados tipos de violência, desde a policial, que para nas páginas do jornal do dia seguinte, até a violência econômica, que obriga seu corpo cansado de uma longa jornada a achar refúgio no "sofá vermelho, mequetrefe", numa sala sem TV. Aliás, essa é a sina dos personagens dessa aventura tão brasileira. Eles enfrentam estações de metrô lotadas, em que o cheiro da chuva se mistura com os "cheiros de mijo e cecê". Nela, a negra precisa enfrentar a sua condição de escrava em pleno século 21. Condição que não irá mudar nem se alisar o cabelo "pixaim", pois ela se dá conta de que suas costas, na verdade, doem mais do que o cabelo. Uma dor que ela leva para casa, onde continua sentindo a vassoura "tesa, reta, lisa" de seu trabalho.  Na narrativa de Gontijo Flores, aqueles que são desconsiderados pelo sistema arranjam alguém para desconsiderar, uma minoria dentro da minoria. Daí surgem afirmações machistas como as que imputam à mulher a culpa pelo comportamento agressivo dos homens: "Elas é que geram o machismo, estão assim, ofertas, para qualquer um"; e pensamentos racistas como "a macaca, palavra que penso, mas não falo". Em seguida, porém, há uma denúncia do aumento de casos de feminicídio feita com colagem de reportagens de jornal. Três epígrafes abrem "História de Joia" e, de certa forma, desvendam o que está por vir. São epígrafes políticas, excertos de obras de autores engajados: a primeira, de Judith Butler, afirma que a vida "excede qualquer relato que dela possamos dar"; a segunda, de Viviane Mosé, diz que "falo, falo, falo, falo o tempo todo, e é como se eu não tivesse falado nada"; a terceira, de Abel Meeropol, é um fragmento de "Strange Fruit" sobre o linchamento de dois negros nos Estados Unidos. Gontijo Flores fala, fala e assim dá voz àqueles que tentamos calar. Os capítulos de "História de Joia" são identificados com símbolos usados nas cartas de tarô. Nesse sentido, parece que Gontijo Flores incorpora a famosa vidente Madame Sosostris, do poema "The Waste Land", de T.S. Eliot, que vê "multidões andando em círculo" e lembra que "é preciso ser muito cuidadoso nesses dias". HISTÓRIA DE JOIA Avaliação: ótimo Preço: R$ 39,90 (88 págs.) Autor: Guilherme Gontijo Flores Editora: Todavia

  • 5 dicas para reaproveitar as sobras da Ceia de Natal e Réveillon
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    5 dicas para reaproveitar as sobras da Ceia de Natal e Réveillon

    Fez muita comida para Ceia de Natal ou de Réveillon? Veja 5 ótimas dicas para aproveitar de forma prática o que sobrou e evitar desperdícios

  • Vida e Estilo
    Folhapress

    Livraria Megafauna faz feira de livros em SP com espaço ainda em obras

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ainda em obras, a nova livraria Megafauna tem previsão de abertura para março do ano que vem — mas, neste fim de semana, o espaço mostra seu cartão de visitas e abre pela primeira vez as portas, escancarando a reforma ao sediar uma feira de livros. Localizada no térreo do Copan, o famoso edifício curvo projetado por Oscar Niemeyer no centro de São Paulo, o futuro espaço tem 216 metros quadrados e projeto de oferecer uma boa variedade de  livros de ficção e de não ficção, com cerca de 12 mil títulos e uma curadoria atenta aos lançamentos das editoras. "O centro tem passado por uma grande revitalização, mas ainda tem uma carência de livrarias", diz Fernanda Diamant, curadora da Flip e uma das sócias do espaço. Além dela, estão à frente da empreitada a arquiteta Anna Ferrari, o empresário Arthur Mello, a editora Maria Emilia Bender e o médico veterinário Thiago Salles Gomes. Enquanto não é inaugurado oficialmente, o lugar vai sediar neste fim de semana o evento Megafauna em Obras, uma feira de livros na qual 22 editoras oferecem descontos em seus catálogos.  "Fizemos a seleção porque não cabe mais do que isso no espaço, mas a preocupação foi já mostrar o projeto da livraria com uma variedade de gêneros e empresas de tamanhos diferentes", conta Diamant. Além dos livros, o evento vai ter uma ponta gastronômica, com cervejas artesanais e uma banca de pastel da chef Bel Coelho. Quando a Megafauna for aberta oficialmente, Coelho vai comandar o café do lugar. Participam da feira as editoras Autêntica, Bazar do Tempo, Boitempo, Carambaia, Chão, Cobogó, Companhia das Letras, Dublinense, 34, Estação Liberdade, Hedra, Kapulana, N-1, Nós, Oficina Raquel, Planeta, Rocco, Todavia, Ubu, Unesp, WMF Martins Fontes e Zahar --esta última foi adquirida em outubro deste ano pelo grupo Companhia das Letras. MEGAFAUNA EM OBRAS Quando: Sábado (14) e domingo (15), das 10h às 18h Onde: No futuro espaço da livraria (av. Ipiranga, 200, térreo, São Paulo) Preço: Grátis

  • Mal do Século: médica explica as relações entre dor física, ansiedade e depressão
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    Mal do Século: médica explica as relações entre dor física, ansiedade e depressão

    De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 300 milhões de pessoas no mundo sofrem de depressão, dos quais 18,6 milhões de brasileiros sofrem de ansiedade. Síndromes que se confundem em sinais e sintomas, mas diferem em intensidade

  • Influencers: 5 filhos de famosos que já faturam nas redes sociais
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    Influencers: 5 filhos de famosos que já faturam nas redes sociais

    Veja quem são os filhos de famosos que já são digital influencers, como a baby Zoe, filha de Sabrina Sato

  • 5 famosos que lançaram ou emprestaram a fama para vender bebidas
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    5 famosos que lançaram ou emprestaram a fama para vender bebidas

    Vinhos, cervejas e licor. Famosos como Galvão Bueno, Sepultura e Maiara e Maraísa investem ou emprestam seu prestígio para marcas de bebidas

  • Conheça a síndrome da mulher-elástica, doença da cantora Sia
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    Conheça a síndrome da mulher-elástica, doença da cantora Sia

    A Síndrome de Ehlers-Danlos (SED), conhecida por síndrome da mulher-elástica, é um distúrbio genético e não tem cura. Cantora Sia revelou ter a doença

  • Música: conheça as principais plataformas de streaming
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    Música: conheça as principais plataformas de streaming

    Spotify e TuneIn e Apple Music. Saiba quais são as principais plataformas de streaming de música e o que cada uma oferece

  • Criança: saiba identificar as quedas que podem sinalizar algo mais sério
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    Criança: saiba identificar as quedas que podem sinalizar algo mais sério

    Se cair, do chão não passa. A sabedoria popular costuma amenizar as angústias dos pais, avós e outros parentes que encaram as quedas como parte do aprendizado das crianças que estão começando a andar

  • Bruno Gagliasso é internado no Rio de Janeiro para retirada de cisto na tireoide
    Vida e Estilo
    Folhapress

    Bruno Gagliasso é internado no Rio de Janeiro para retirada de cisto na tireoide

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Bruno Gagliasso, 37, foi internado na tarde desta quarta-feira (11) no hospital Copa Star, no Rio de Janeiro, para a retirada de um cisto na tireoide. De acordo com a assessoria do ator, a cirurgia, que já estava prevista, aconteceu na quinta-feira (12) e ele recebeu alta no mesmo dia. Nesta terça-feira (10), a Netflix oficializou a contratação de Gagliasso por meio de um vídeo no qual o ator simula um teste para a produção espanhola "La Casa de Papel", grande sucesso do serviço de streaming. Durante a "entrevista de emprego", o artista falou sobre o "surubão de Noronha" e disse não querer mais trabalhar em novelas.  A Globo reagiu à brincadeira com uma postagem bem-humorada nas redes da Globoplay  com os dizeres: "Ufa! Tá liberado fazer séries e novelas por aqui. A boa notícia é que eu tenho os dois". A sentença acompanhava imagens de vários momentos do astro em diversas produções da emissora.  Partiu de Gagliasso a iniciativa de não renovar contrato com a emissora carioca no início de novembro. À época ele usou uma rede social para explicar sua decisão.  "Tudo muda. A gente muda. O tempo muda. Nossas relações mudam. Mas o afeto, esse é permanente. Há 18 anos vocês me acompanham em séries e novelas da TV Globo e juntos fomos construindo uma bela história que agora ganha um novo capítulo." Gagliasso é casado desde 2010 com a atriz Giovanna Ewbank.  Em julho de 2016, o casal adotou no Malawi, uma menina de quatro anos de idade chamada Chissomo, conhecida como Titi. Em julho de 2019 voltaram ao país africano e adotaram Bless, um garoto de quatro anos.

  • Vida e Estilo
    Folhapress

    Musical sobre Itamar Assumpção mostra enriquecimento do gênero no teatro brasileiro

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O que mais chama atenção no musical "Pretoperitamar - O Caminho que Vai Dar Aqui" é a dramaturgia estilhaçada, que espelha abertamente o próprio Itamar Assumpção (1949-2003). Seus shows à época já eram teatrais, de um músico e performer que, afinal, começou muito jovem como ator no Paraná — como mostra de passagem o espetáculo. E não eram teatro linear, o que a filha Anelis Assumpção (concepção e direção), Grace Passô (direção e dramaturgia) e Ana Maria Gonçalves (dramaturgia) mantêm e até aprofundam em "Pretoperitamar". A própria trajetória dele como criador foi pouco convencional, ao mesmo tempo popular e de vanguarda, como enfatiza o vídeo que abre as apresentações no Sesc Pompeia. Itamar se comunicava com muita facilidade com um grande público, enquanto o questionava, o lançava em estranhamentos. Sua irmã, a atriz e cantora Denise Assunção, já era nos shows um foco de luz, como agora. As melodias de ambos eram trincadas, as representações eram carregadas de choque e ironia. De carreira também multifacetada no teatro, talvez mais lembrada pelos trabalhos com Zé Celso, mas antes no "Macunaíma" de Antunes, ela volta ao palco para representar essencialmente o próprio irmão. Não está sozinha. É Denise quem avisa que Itamar não vem, mas ela e todos os outros são Itamar, de diferentes maneiras, em "Pretoperitamar". As cantoras-atrizes Thalma de Freitas, Iara Rennó e Tulipa Ruiz, as Floristas como são denominadas na produção, remetem às hoje legendárias vocalistas dos shows nos anos 1980 e têm, cada uma, solos de extasiar, pelo que encarnam do humor e da virtuose musical de Itamar. Porém, também como naquele tempo, os saltos experimentais e a estranheza resultante por vezes afastam o espectador. A apresentação não tem um andamento tradicional, com sua estrutura entrecortada não só de diálogos, mas pela entrada de rituais e quadros musicais e pelo vaivém de Itamar por todos aqueles personagens. "Pretoperitamar" termina de supetão e não com alertas teatrais ou mesmo como um show costumeiro. Um e outro espectador relutam para deixar o teatro, esperando bis, até porque o musical evita a saída fácil do jukebox, deixando muito acorde no ar. Na mesma direção, também não se faz uma idealização de Itamar. Evita-se o romantismo biográfico simplista, que é aquilo a que se acostumou o público de musicais comerciais, no Brasil e no mundo. Mas faz falta a empatia cúmplice, por exemplo, do musical "Elza", que também distribuiu Elza Soares por diferentes intérpretes, mas sem o vanguardismo orgulhoso de Itamar --sua propensão a desnortear, tirar o tapete. De todo modo, como as sete de "Elza", também as quatro cantoras-atrizes de "Pretoperitamar" carregam o espectador para a cena, embalam, envolvem, num musical que, embora tão diverso, dialoga com aquele. Ambos confirmam o quanto se enriqueceu a dramaturgia dos musicais biográficos e nacionais. São hoje mais inteligentes, com liberdade formal e um retrato mais fidedigno da música e da cena brasileira contemporânea, da qual Itamar foi um arauto. Ele está presente não só no sereno Fabrício Boliveira e no agitado Negro Léo, propriamente denominados Cover e Aquele que Recebe, mas na engraçada Documentarista de Claudia Missura, que faz as vezes do olhar externo, fascinado, do público. Também está na banda integrada à cena e no dançarino Allyson Amaral, de físico e movimentos tão contrastantes com a antiga linha de coro, dos velhos musicais. Em tempo, o vago fio narrativo de "Pretoperitamar" começa com uma "expedição" para chamar o músico à celebração de seus 70 anos. E parte daí para montar o quebra-cabeças de sua vida neste, como diz o programa, "elástico de tempo onde moram injustiças, potências culturais e resistências seculares". PRETOPERITAMAR - O CAMINHO QUE VAI DAR AQUI Avaliação: muito bom Quando: Qui. a sáb., às 21h. Dom., às 18h. A temporada vai até dom. (15) e retorna no dia 9/1 Onde: Sesc Pompeia, r. Clélia, 93, São Paulo Preço: R$ 12 a R$ 40 Classificação: 16 anos

  • Jane Fonda chama Bolsonaro de 'patético' por acusar Di Caprio
    Vida e Estilo
    Amanda Caroline

    Jane Fonda chama Bolsonaro de 'patético' por acusar Di Caprio

    A atriz e ativista de 81 anos criticou a política ambiental de Jair Bolsonaro e chamou o presidente de "patético" e "piada" por culpar Leonardo DiCaprio pelas queimadas na Amazônia

  • Faria Limers: o retrato da não inclusão paulistana
    Vida e Estilo
    Redação Vida e Estilo

    Faria Limers: o retrato da não inclusão paulistana

    Uma matéria sobre o "condado" nos fez questionar a falta de representatividade dos grandes centros comerciais

  • 'Amor de Mãe': Thelma fura camisinhas de Danilo para realizar sonho de ser avó
    Vida e Estilo
    Amanda Caroline

    'Amor de Mãe': Thelma fura camisinhas de Danilo para realizar sonho de ser avó

    A mãe de Danilo (Chay Suede) vai armar para o filho e Camila (Jéssica Ellen)

  • Bruno Gagliasso faz cirurgia para retirar cisto na tireoide
    Vida e Estilo
    Patrick Monteiro

    Bruno Gagliasso faz cirurgia para retirar cisto na tireoide

    Bruno está internado no hospital Copa Star, em Copacabana, no Rio de Janeiro, e retirou um cisto localizado na tireoide

  • Porchat, ateu interessado em religiões, diz não se incomodar com críticos ao Especial de Natal
    Vida e Estilo
    Folhapress

    Porchat, ateu interessado em religiões, diz não se incomodar com críticos ao Especial de Natal

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em meados de abril, Fábio Porchat, 36, já começa a pensar no tradicional e aguardado Especial de Natal do Porta dos Fundos. O deste ano chamado de  "A Primeira Tentação de Cristo", já está disponível na Netflix e não demorou para receber críticas de religiosos.    Curioso e ateu praticante, como ele mesmo define, Porchat já visitou igrejas evangélicas, centros de umbanda e lê bastante sobre religiões, conteúdo que ele sempre usou para criar os vídeos do canal de humor. "Sempre achei fascinante a ideia de que as pessoas acreditam em algo que não existe, de guiarem a vida delas em cima do que elas acreditam e não pelo que elas sabem", reflete o ator e roteirista. Desde 2013, o canal Porta dos Fundos lança vídeos curtos humorísticos inspirados na história da Bíblia na época do Natal. Desde o início, houve protestos de grupos religiosos contra a forma como Jesus era retratado nesses esquetes. Mesmo assim, o sucesso do Youtube se transformou em um projeto maior, em parceria com a Netflix.  O primeiro, no ano passado, "Se Beber, Não Ceie", venceu Emmy Internacional como melhor comédia do ano. A reclamação de críticos começou pouco depois do lançamento. Um abaixo-assinado liderado por evangélicos está pedindo a censura do filme pela história levantar a possibilidade de que Jesus (Gregório Duvivier) seja gay. Com a meta de chegar a 1 milhão de assinaturas, a página já recrutou mais de 900 mil simpatizantes nesta quinta-feira (12). O texto pede "o impedimento do filme de Natal da Netflix e Porta dos Fundos, por ofender gravemente os cristãos."  No entanto, a onda de críticas foi diminuindo, na visão de Porchat. "No início, ninguém fazia isso, mas quando eu veio Porta do Fundo e falamos de racismo, machismo, religião, politica, as pessoas tomaram um susto inicial. Então, os primeiros vídeos causaram furor, agora já entrou no inconsciente de que o Porta faz esse tipo de vídeo. Tem gente que não gosta, mas virou uma tradição", avalia o humorista. " A Primeira Tentação de Cristo", Jesus ganha uma festa surpresa por seus 30 anos, quando Maria e José precisam revelar que ele foi só adotado por eles. "Jesus chega na festa depois de 40 dias no deserto junto com Orlando, um rapaz pouco afeminado e que eles fizeram uma amizade muito profunda. Tem o Tio Vitório que é Deus", explica Porchat, sobre o filme.  Para o humorista, o papel deles é apenas fazer uma boa comédia. "As pessoas ficam com raiva por ter mexido com o que elas acreditam e comentam coisas do tipo, 'quero ver se vocês terão coragem de brincar com Alá e com Maomé', e a gente fala deles também, não há problema algum. O cara quer ver a piada, ele pede, mas como ele não tem coragem de fazer, a gente faz." Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, afirmou no Twitter que o filme do Porta dos Fundos "ataca a fé cristã" por mostrar "Jesus namorando um homem, fazendo festas com prostitutas e se recusando a pregar a palavra de Deus". Ao narrar a história completa do especial, o ator Gregório Duvivier respondeu ironicamente ao deputado federal. "Caramba, tá todo o mundo assistindo mes-mo!" Porchat também se pronunciou pelo Twitter para acalmar os críticos.  "Gente, pode deixar que eu me resolvo com Deus, tá de boas, não precisa se preocupar não. Agora pode voltar a se indignar com a desigualdade que destrói nosso país. Mas tem que se indignar com o mesmo fervor, tá?"

  • Mel Maia curte praia com namorado: "Será que vamos suportar a saudade"
    Vida e Estilo
    Patrick Monteiro

    Mel Maia curte praia com namorado: "Será que vamos suportar a saudade"

    O jogador João Pedro se mudará para Inglaterra em 2020

  • Vida e Estilo
    Folhapress

    Morre ator Danny Aiello, dono da pizzaria de 'Faça a Coisa Certa', aos 86 anos

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante por "Faça a Coisa Certa", de Spike Lee, o americano Danny Aiello morreu nesta quinta-feira (12), aos 86 anos, num hospital em New Jersey, nos Estados Unidos. A informação foi revelada pelo portal TMZ, e confirmada pela agente literária de Aiello, Jennifer De Chiara, aos veículos The New York Times e Fox News. Aiello começou tarde no cinema. Ele tinha 40 anos quando participou de seu primeiro filme, o drama esportivo "A Última Batalha de um Jogador" (1973), estrelado por um Robert de Niro pré-"Taxi Driver". Até meados dos 30 anos, ele havia trabalhado numa fábrica de motores de avião e numa companhia de ônibus, além de ter ocupado funções importantes num sindicato. Sua incursão nas artes se deu quando conseguiu um emprego como segurança de um clube noturno em Nova York. Ele logo saiu da portaria do clube para os palcos, primeiro da própria boate, depois num espetáculo teatral off-Broadway, aos 37. Um de seus papéis de maior destaque foi o de Sal, dono de uma pizzaria em "Faça a Coisa Certa". No filme, o estabelecimento é um dos poucos pertencentes a um branco numa vizinhança predominantemente negra, e vira cenário de conflitos entre os dois grupos. O ator também é lembrado por uma fala que ele conta ter improvisado em "O Poderoso Chefão 2". Ao enforcar o personagem de Frank Pentageli, rival de Michael Corleone no longa, ele diz que seu chefe "diz olá". Outros filmes importantes de que Aiello participou foram "Feitiço da Lua" (1987), ao lado da atriz e cantora Cher; "Era uma Vez na América" (1984), do criador do "faroeste espaguete" Sergio Leone; "O Profissional" (1994), de Luc Besson; e "A Rosa Púrpura do Cairo" (1985) e "A Era do Rádio" (1987), os dois últimos dirigidos por Woody Allen. Aiello deixa a mulher, a produtora Sandy Cohen, três filhos, Rick, Jaime e Stacey Aiello, e dez netos. Seu quarto filho, Danny Aiello 3º, morreu em 2010.

  • Hilbert constrói casinha de cachorro com os filhos: 'Marceneiros'
    Vida e Estilo
    Amanda Caroline

    Hilbert constrói casinha de cachorro com os filhos: 'Marceneiros'

    O apresentador quer passar suas habilidades para os filhos João e Francisco, de 11 anos